- ESTADO DE FÉ-

O grande objetivo de qualquer igreja ou empreendimento missionário não deve ser o envio de missionários, mas o envio da verdade de Deus por meio dos missionários. É por isso que devemos estar unidos nas crenças fundamentais da fé cristã. A verdade do Evangelho de Jesus Cristo e o desejo de torná-lo conhecido entre as nações é a nossa força unificadora. Visto que as missões são principalmente uma tarefa de comunicar a verdade do Evangelho de Deus às nações, a doutrina bíblica é o principal.

As Escrituras. As Escrituras do Antigo e do Novo Testamento foram dadas por inspiração de Deus e são a única regra suficiente, certa e autorizada de todo conhecimento, fé e obediência salvadores.

Deus. Há apenas um Deus, o Criador, Preservador e Governador de todas as coisas; tendo em si mesmo todas as perfeições e sendo infinito em todas elas; e a Ele todas as criaturas devem o mais alto amor, reverência e obediência.

A Trindade. Deus é revelado a nós em três Pessoas distintas - Pai, Filho e Espírito Santo - cada uma com atributos e funções pessoais distintas, mas sem divisão de natureza, essência ou ser.

Providência. Deus, desde a eternidade, decreta ou permite todas as coisas que acontecem e perpetuamente sustenta, dirige e governa todas as criaturas e todos os eventos; contudo, não de forma alguma a ser o autor ou aprovador do pecado, nem a destruir o livre arbítrio e a responsabilidade de criaturas inteligentes.

Eleição. A eleição é a escolha eterna de Deus de algumas pessoas para a vida eterna - não por causa do mérito previsto nelas, mas por Sua mera misericórdia em Cristo - em conseqüência dessa escolha são chamados, justificados e glorificados. Portanto, “todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” (Romanos 10:13). E aqueles que invocam Seu nome são eleitos e salvos.

A queda do homem. Deus criou o homem originalmente à sua imagem e livre de pecado; mas, por meio da tentação de Satanás, o homem transgrediu o mandamento de Deus e caiu de sua santidade e justiça originais; por meio do qual sua posteridade [ou seja descendentes] herdam uma natureza corrupta e totalmente oposta a Deus e Sua lei, estão sob condenação e (assim que são capazes de ação moral) tornam-se verdadeiros transgressores.

O Mediador. Jesus Cristo, o Filho unigênito de Deus, é o Mediador divinamente designado entre Deus e o homem. Tendo assumido a natureza humana - mas sem pecado - Ele cumpriu perfeitamente a lei, sofreu e morreu na cruz pela salvação dos pecadores. Ele foi sepultado, ressuscitou no terceiro dia e ascendeu ao Seu Pai, em cuja mão direita Ele vive para sempre para fazer intercessão por Seu povo. Ele é o único Mediador; o Profeta, Sacerdote e Rei da igreja; e soberano do universo.

Regeneração. A regeneração é uma mudança de coração operada pelo Espírito Santo, que vivifica os que estão mortos em ofensas e pecados, iluminando suas mentes espiritual e salvificamente para compreender a Palavra de Deus e renovando toda a sua natureza, para que amem e pratiquem a santidade. É uma obra da graça especial e gratuita de Deus somente.

Arrependimento. O arrependimento é uma graça evangélica em que o Espírito Santo torna a pessoa ciente dos múltiplos males de seu pecado, de modo que ela se humilha com a tristeza segundo Deus, detestando o pecado e aborrecendo (ou seja odiar) a si mesmo, com um propósito e esforço para caminhar diante de Deus de modo a agradá-Lo em todas as coisas.

Fé. A fé salvadora é a crença, na autoridade de Deus, de tudo o que é revelado em Sua Palavra a respeito de Cristo, aceitando e descansando somente Nele para justificação e vida eterna. É operado no coração pelo Espírito Santo, é acompanhado por todas as outras graças salvadoras e conduz a uma vida de santidade.

Justificação. A justificação é a absolvição total e graciosa de Deus dos pecadores que crêem em Cristo de todos os pecados, por meio da satisfação que Cristo fez. Não é dado por nada forjado neles ou feito por eles; antes, é dado por causa da obediência e satisfação de Cristo, conforme eles recebem e descansam Nele e em Sua justiça pela fé.

Santificação. Aqueles que foram regenerados também são santificados pela Palavra de Deus e pelo Espírito habitando neles. Essa santificação é progressiva por meio do suprimento da força divina, que todos os santos procuram obter, buscando uma vida celestial em voluntária obediência a todos os mandamentos de Cristo.

Perseverança dos Santos. Aqueles a quem Deus aceitou no Amado e santificou pelo Seu Espírito nunca cairão total ou definitivamente do estado de graça, mas certamente perseverarão até o fim. E embora possam cair por negligência e tentação no pecado, pelo que entristecem o Espírito, prejudicam suas graças e confortos e trazem opróbrio sobre a igreja e julgamentos temporais sobre si mesmos; ainda assim, eles serão renovados novamente para o arrependimento e serão guardados pelo poder de Deus por meio da fé para a salvação.

A Igreja. O Senhor Jesus é o Cabeça da igreja, que é composta de todos os Seus verdadeiros discípulos, e Nele está investido todo o poder para seu governo. De acordo com Seu mandamento, os cristãos devem se associar a igrejas particulares; e a cada uma dessas igrejas Ele deu autoridade necessária para administrar a ordem, disciplina e adoração que Ele designou. Os oficiais regulares de uma igreja são bispos (ou presbíteros) e diáconos.

Batismo. O batismo é uma ordenança do Senhor Jesus, obrigatória para todo crente, onde ele é imerso na água em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, como um sinal de sua comunhão com a morte e ressurreição de Cristo, da remissão de pecados e de sua entrega a Deus para viver e andar em novidade de vida.

Ceia do Senhor. A Ceia do Senhor é uma ordenança de Jesus Cristo para ser administrada com pão e vinho e ser observada por Suas igrejas até o fim do mundo. Não é de forma alguma um sacrifício. Destina-se a comemorar Sua morte; para confirmar a fé dos cristãos; e para ser um vínculo, penhor e renovação de sua comunhão com Ele e de sua comunhão na igreja.

O Dia do Senhor. As Escrituras e a igreja do Novo Testamento dão o exemplo de assembléia no dia do Senhor (ou seja Domingo) para a leitura e ensino da Palavra de Deus, adoração, oração e encorajamento mútuo - estimulando uns aos outros para o amor e as boas ações. É apropriado ver o Dia do Senhor como uma celebração da ressurreição de Cristo e da redenção de Seu povo.

Liberdade de consciência. Só Deus é o Senhor da consciência, e Ele a deixou livre das doutrinas e mandamentos de homens que são de alguma forma contrários à Sua Palavra ou não estão contidos nela. Visto que os magistrados civis são ordenados por Deus, devemos estar sujeitos a eles em tudo o que é “lícito” ou não contrário às Escrituras.

A ressurreição. Os corpos dos homens após a morte voltam ao pó, mas seus espíritos voltam imediatamente para Deus - os justos para descansar com Ele e os iníquos para serem reservados sob as trevas para o julgamento. No último dia, os corpos de todos os mortos, justos e injustos, serão ressuscitados.

O Juízo. Deus designou um dia em que Ele julgará o mundo por Jesus Cristo, quando todos receberão de acordo com suas obras: os ímpios irão para o castigo eterno, e os justos irão para a vida eterna.

Publicações Recentes